5 alertas para a tesouraria corporativa em 2020

Se fosse preciso resumir a característica dos desafios que o ano de 2020 já começou a trazer aos profissionais da tesouraria corporativa ao redor do mundo, a palavra seria “diversidade”.

É o que sugere Sarah Boyce, diretora da Associação de Tesoureiros Corporativos (ACT, na sigla em inglês) sediada em Londres, em artigo veiculado no site da associação em meados de dezembro.

Eles variam tanto em relação à escala, como em relação à urgência.

Da transição da Libor às dificuldades específicas de alguns nichos econômicos.

Da importância que a tríade “Ambiente, Sociedade e Governança” começa a ter no setor financeiro à reforma das normas que regulamentam o mercado de derivativos europeu.

Entre a grande variedade de demandas que chegam a ACT, ela seleciona e comenta os cinco tópicos principais para a tesouraria corporativa prestar atenção ao longo do ano.

Confira a seguir quais são as questões e como elas devem tomar o tempo dos profissionais da área:

1. Transição da Libor

Em julho de 2017, o então diretor da Autoridade de Conduta Financeira (FCA, na sigla em inglês), Andrew Bailey, anunciou que a Libor seria extinta no final de 2021.

Um ano e meio depois da declaração, o mercado ainda não encontrou uma solução adequada para substituir a taxa nas transações do dia a dia, nem nos contratos referenciados por ela, que somam cerca de US$ 350 trilhões.

A transição da Libor deve resultar em um mercado fragmentado e levar a um aumento de custos e de litígios, avalia Boyce.

Por isso, ela defende que as empresas ajam por conta própria para se assegurar o máximo possível em relação ao fim da Libor.

Identificar onde ela é usada e encontrar taxas alternativas. Principalmente em contratos não-financeiros, contratos comerciais, de produtos, empréstimos entre empresas, entre outros.

2. Comércio Internacional

Como os tesoureiros estão assumindo um papel mais estratégico em suas empresas, as preocupações que impactam o negócio como um todo estão se tornando um tema mais comum entre eles.

Nos últimos 12 meses, a perspectiva de instabilidade política cresceu não apenas em países como Hong Kong e China, mas se espalhou de modo mais intenso pelo mundo.

Além dos conflitos que envolvem os Estados Unidos, há pontos críticos em relação a Japão, Coreia e à separação do Reino Unido da União Europeia, que podem afetar as transações comerciais.

Outro desafio geopolítico crescente para o comércio global é a dificuldade de se manter atualizado em relação às sanções publicadas por EUA e UE, que estão cada vez mais numerosas e complexas.

Os tesoureiros precisarão acompanhar esses desenvolvimentos se eles ou seus fornecedores e clientes fizerem negócios internacionalmente. Não apenas para garantir a segurança dos fundos, mas também para apoiar os negócios em geral com informações relevantes e atuais, conclui Boyce.

3. Tecnologia

Há pelos menos 20 anos no foco das discussões, o papel da tecnologia na transformação das atividades de tesouraria não sairá da pauta.

Bilhões de dólares têm sido investidos em novas soluções e há uma gama enorme de aplicativos que prometem facilidade.

Mas diferente do que esperava, o cenário está se tornando cada vez mais complexo, e não menos.

Surgem novas siglas como XML, ISO 20022, DLT, RPA, além da NLP, que envolve linguagem de marcação extensível, tecnologia de contabilidade distribuída, automação de processos robóticos e processamento de linguagem natural.

Muitas vezes um mesmo padrão ainda oferece diferentes versões, o que dificulta ainda mais.

Diante disso, a tesouraria terá não somente que entender o funcionamento de novas interfaces, como avaliar necessidades de investimento e o grau de confiabilidade das opções disponíveis no mercado.

4. Ambiente, Sociedade e Governança

Hoje, é difícil evitar os temas “Ambiente, Sociedade e Governança” (ESG, na sigla em inglês).

A atenção dos reguladores resultou em várias iniciativas, que incluem a Força-tarefa sobre divulgações financeiras relacionadas ao clima; Os princípios de investimento responsável com mais de 2.500 signatários; e Os Princípios do Equador para o financiamento de projetos.

Funcionários, acionistas, credores, reguladores e formuladores de políticas estão tomando medidas e os tesoureiros precisarão estar alinhados a essa nova postura.

Seja levantando financiamento por meio de estruturas “verdes”, lidando com parceiros financeiros com fortes credenciais ESG ou relatando atividades ESG.

E não são apenas riscos que surgem, mas oportunidades.

Esses temas deixaram de representar um esforço puramente filantrópico para abrir, oferecer e ampliar a oportunidade de obter financiamento mais barato, ser mais atraente para fornecedores e clientes, obter uma melhor classificação de crédito e ser mais lucrativo.

5. Pagamentos

Por muitas décadas, o cenário de pagamentos experimentou muito poucas inovações.

É inegável que as tecnologias de pagamento, como PayPal, trouxeram grandes benefícios para as pessoas. Nas empresas, a utilização dessas tecnologias é menor, mas as mudanças são iminentes.

À medida que isso ocorrer, os tesoureiros terão que lidar com uma realidade bastante diferente. Essas alterações e outras afetarão as principais atividades de pagamento – de entrada e de saída.

Para a maioria dos tesoureiros, isso proporcionará uma oportunidade de analisar as atividades gerais de pagamento para garantir que os diferentes canais disponíveis estejam sendo otimizados e que inovações como a trilha e o rastreamento da SWIFT estejam sendo aproveitadas.

Muitas dessas mudanças exigirão investimento em sistemas de pagamento e de clientes, e os tesoureiros se beneficiarão ao garantir a inclusão em qualquer plano de investimento em tecnologia.

As mudanças que se apresentam para tesoureiros e profissionais das finanças nesse ano desenham um cenário mais incerto sob diversos aspectos.

Por isso, é importante acompanhar a evolução desses temas periodicamente e manter-se em contato com colegas de profissão para ter uma perspectiva mais ampla e não ser pego de surpresa.

Fonte: Association of Corporate Treasurers (ACT)

Deixe um comentário