Como escolher um sistema para gestão de tesouraria?

Um sistema para gestão de tesouraria é uma solução tecnológica automatizada e estratégica que contempla os processos, políticas e administra o risco financeiro com sucesso.

Fazendo integração com o ERP e também com outras fontes de informação, esse software permite monitorar e analisar todas as movimentações financeiras da empresa, fazendo as devidas conciliações e contabilizações.

Neste artigo, vamos tratar de como escolher entre os fornecedores de software o melhor sistema para gestão de tesouraria. Confira!

4 passos para escolher um sistema para gestão de tesouraria

Um sistema de gerenciamento de tesouraria bem escolhido pode otimizar suas operações e aumentar o desempenho da sua organização — mas com tantas opções disponíveis, é crucial escolher uma que atenda às necessidades específicas da empresa. Esses cinco indicadores podem ajudar a manter seu processo de seleção focado e no caminho certo.

1. Revise suas operações de tesouraria

Preparar as bases para um novo sistema cria a oportunidade perfeita para realmente examinar como é realizada a gestão de tesouraria atualmente. 

Quais procedimentos e processos são utilizados? Eles estão trabalhando para o negócio tão bem quanto poderiam estar? Sua estratégia de processos e procedimentos ainda é relevante ou suas tarefas diárias foram alteradas desde que foram planejadas/documentadas? 

A análise desse tipo dá a você a chance de otimizar suas operações antes de instalar um novo sistema, garantindo que o aproveite ao máximo.

2. Crie uma definição de requisitos

Certifique-se de considerar os requisitos mais amplos da sua tesouraria. Converse com toda a equipe que vai usar o novo sistema para mapear seus pontos de dor atuais e o que precisam para fazer melhor e com mais eficiência. 

É importante garantir que todas as partes interessadas sejam incluídas no processo para que a decisão não potencialize resistências à mudança.

3. Dialogue com a TI 

Além da equipe, do levantamento de requisitos processuais, é interessante conversar com o gestor de tecnologia. É a TI quem vai fazer apontamentos técnicos para a melhor escolha do sistema para gestão de tesouraria.

Garanta que tanto as questões técnicas quanto de negócios estejam à mesa antes de começar a avaliar as opções disponíveis no mercado. Assim, a busca será mais direcionada e guiada por critérios bem definidos. É o famoso “saber o que se está buscando”.

4. Avalie além dos preços

Descobrir que um sistema não se adequa à realidade do negócio somente depois que ele já está sendo utilizado, além de frustrante também pode gerar custos extras (de customizações, parametrizações não planejadas etc.).

Da mesma forma, descobrir que o fornecedor de software não cumpre com os requisitos que promete em seu discurso comercial pode ser muito problemático. É muito importante pensar em custo/benefício, não meramente sair em busca do sistema mais barato.

É necessário, por exemplo, entender como são as atualizações, como são feitos os atendimentos atendimento e suporte, além de conhecer clientes que já utilizam um determinado sistema para perguntar a eles como é a relação com o fornecedor é uma dica essencial.

Conheça o WFN Gesplan

Por fim, apresentamos o WFN Financing, módulo para a gestão de Operações Financeiras e o WFN Cash, módulo para a gestão do Fluxo de Caixa. Com as soluções WFN, que podem ser contratadas no modelo SaaS (software as a service; software como serviço, na nuvem), todas as demandas da tesouraria são atendidas de maneira ampla e integrada.

Gestão do Fluxo de Caixa com WFN Cash

O WFN Cash, permite controlar contas correntes, conciliações financeiras e bancárias, contabilização de despesas e tarifas, gestão diária de caixa etc.

Aqui está um resumo das principais vantagens oferecidas pelo WFN Cash:

  • centralização das informações, com cálculos automatizados e padronizados;
  • projeções de despesas, tarifas e impostos;
  • análises e comparativos através da simulação de cenários;
  • integrações com os principais ERPs de mercado;
  • acesso agilizado às informações gerenciais e operacionais;
  • adequação às normas vigentes e auditorias (IFRS, SOX, etc.).

Como você viu, a escolha de um sistema para gestão de tesouraria não é algo tão simples, o que não significa que precise ser complicado. Tomando alguns cuidados e encontrando o fornecedor correto, as “dores de cabeça” são mitigadas e o sucesso do projeto está garantido.

O que você achou das dicas que nós trouxemos neste artigo para a escolha do sistema para gestão de tesouraria? Fale conosco agora mesmo para uma apresentação do WFN Gesplan!

Deixe um comentário