Planejamento, disciplina, serenidade e confiança serão nossos maiores aliados na gestão de crise

Sabemos que a economia sofrerá fortes impactos pelos efeitos do seu lockdown e pós-crise Covid-19. Nesse momento desejamos que as decisões sobre a gestão financeira das empresas sejam tomadas com o máximo de segurança, rapidez e eficácia. Medidas protetivas e preventivas do fluxo de caixa serão fundamentais para mitigar riscos e amenizar estes impactos. O melhor para a economia é retomar rápido, aceitando que cada um de nós terá que “pagar” uma parte da conta: Governo, empresas, trabalhadores, sociedade em geral. 

Do lado da gestão dos negócios, revisar cenários é inevitável. Ao fazer isto, baseie-se na serenidade do relacionamento e confiança na sua cadeia de clientes, parceiros e fornecedores.  Avalie a realidade econômica de cada um deles, negociando e priorizando a manutenção dos fluxos financeiros em convergência com o seu cenário, mas também respeitando e equacionando com as necessidades da contraparte. Interromper os fluxos na cadeia, por mera deliberação ou excesso de reservas, quebrará a confiança e distanciará os negócios. isso é o pior para todos!

Efeitos suspensórios de cobrança e medidas fiscais de curto prazo devem ser muito bem avaliadas e projetadas no caixa para prevenir “buracos” lá na frente. Redistribuição dos vencimentos e a visibilidade mínima de 6 meses de fluxo de caixa, com revisões semanais, é essencial agora.

Do lado da gestão de capital, do endividamento e dos investimentos, cenários macroeconômicos devem mesclar com premissas de curto e médio prazo do negócio. A primeira preocupação é com a gestão da dívida, principalmente daquelas empresas que já vinham com déficit de liquidez. Devemos considerar também nestes cenários, premissas para simular alta dos juros futuros, câmbio e o custo médio de carteira, além dos impactos em hedges comerciais e financeiros e seus fatores de risco.

Enfim, é hora de trabalhar muito! Comece agora, não deixe pra depois. Tenha uma visão bem clara e consolidada daquilo que você tem controle e faça um bom planejamento para as incertezas. 

Trace cenários, antecipe o futuro para melhor.

Utilizar informações mais qualificadas e seguras neste momento, aliado a potenciais fontes de reduções de custos e um controle mais detalhado das operações do negócio, vão oferecer conforto e estabilidade para esta travessia, que, todos juntos e da melhor forma, vamos  superar!   

Autor: José Sergio Gesser é CEO da Gesplan, líder na oferta da solução para tesouraria apoiando empresas referências no mercado em práticas financeiras, como: Raízen; Achê, Algar, Grupo Boticário, Magazine Luiza, Renner, Enel e Marisa.

Deixe um comentário