Por que o Fluxo de Caixa Livre está despertando o interesse de CFOs e acionistas?

Por que o fluxo de caixa livre está se tornando uma alternativa para a saúde financeira corporativa?

O fluxo de caixa livre sempre foi uma métrica comercial importante, mas, de acordo com uma pesquisa recente, conduzida pelo Georgia Institute of Technology, está se tornando a medida prioritária da saúde e do sucesso financeiro das empresas.

Como calcular o fluxo de caixa livre?

O fluxo de caixa livre é o saldo disponível depois de realizados todos os pagamentos obrigatórios da empresa. Ele também é utilizado para medir a capacidade de geração de caixa da companhia.

O Fluxo de Caixa Livre pode ser calculado de várias maneiras. De forma geral, é:

Margem operacional bruta =
Receitas geradas (-) despesas gerais (-) Custos operacionais

 

Por que o fluxo de caixa livre se torna uma medida importante de desempenho financeiro entre os acionistas e os executivos financeiros modernos?

O sucesso financeiro das empresas depende não apenas da capacidade da empresa de gerar receitas e lucros, mas também de fluxo de caixa. Mas, é especialmente o fluxo de caixa livre que permite que o desembolso para despesas e custos discricionários (que podem ser eliminados ou reduzidos sem oferecer riscos ao negócio) seja comutado para aquisições, amortização de dívidas e dividendos, o que resulta em ganhos crescentes para elevar o valor da empresa.


Por ser “livre”, o fluxo de caixa livre acaba sendo disponibilizado sem muitas restrições

“Gastar” não afeta diretamente a capacidade da empresa de “gerar mais”. Uma empresa com receita crescente pode, eventualmente, acabar perdendo investidores se nunca encontrar uma maneira de gerar lucros. De forma semelhante, uma empresa com lucros incapazes de gerar caixa também perderá o entusiasmo dos investidores. De qualquer forma, uma empresa deve demonstrar capacidade de gerar fluxo de caixa livre.

Os CFOs estão elevando suas atenções à importância do fluxo de caixa livre. Nos últimos 15 anos, sua referência dobrou nos relatórios corporativos anuais e o reconhecimento do fluxo de caixa livre como medida-chave do desempenho financeiro tende a permanecer.


Por estar fora do GAAP (normas contábeis), não há uma definição padrão para o fluxo de caixa livre

O fluxo de caixa livre não é definido pelas normas contábeis. A maioria das empresas o define como caixa fornecido por atividades operacionais, conforme definido pelo GAAP, menos dividendos em gastos preferenciais e menos gastos de capital.


O que as empresas estão fazendo com seu fluxo de caixa livre?

Dado que é discricionário, o fluxo de caixa livre pode ser usado para qualquer finalidade corporativa, e muitas empresas o utilizam para aumentar os dividendos. A grande questão do autor da pesquisa, Charles W. Mulford, é se parte desse dinheiro livre pode ser usado para aumentar gastos de capital, o que ajudaria a impulsionar a economia e o emprego.


Quais as melhores práticas os CFOs têm à disposição para melhorar o fluxo de caixa livre?

As margens operacionais desempenham um papel significativo dentre as opções que um CFO tem para aumentar o fluxo de caixa livre, a fim de minimizar as necessidades de capital de giro, especialmente recebíveis e estoque, enquanto maximizam as contas a pagar. Os CFOs devem encontrar o nível certo de gastos de capital – suficientes para manter o crescimento, mas não excessivamente, de modo a tornar-se um desperdício.

 

gesplan

A Gesplan fornece, há mais de 15 anos, soluções em software para o planejamento estratégico e gestão financeira de empresas de médio e grande porte, reduzindo riscos e incertezas do processo decisório e estratégico dos seus negócios.

Deixe um comentário