+55 (47) 2101-7070
Voltar

Desafios da Gestão de Tesouraria Central vs Local

19 Julho 2018

O mundo pode estar globalizado em diversos contextos, mas especialmente para empresas globais, o enigma do gerenciamento da tesouraria central versus local parece não ter fim.

Políticas coerentes em todos os mercados e uma execução centralizada garantem a eficiência do controle da tesouraria e também reduz os custos. Mas o que desafia a padronização dos processos são os requisitos específicos de alguns países, onde a uniformização das relações bancárias, hedging, gestão de caixa e facilidades de crédito podem ser comprometidas.

Uma organização com crescimento acelerado pode admitir que em cada país a empresa seja administrada como um negócio independente. Neste caso, a centralização da tesouraria poderia engessar os processos, tornando-se um obstáculo para o seu crescimento. Já, para empresas que necessitam otimizar o caixa e reduzir a dívida, a visibilidade ampla de caixa é determinante para cumprir com os seus objetivos.

Nesses casos, qual é a melhor forma de gestão da tesouraria?

 

Este ponto foi questionado no painel “O Enigma Sem Fim: Gerenciamento da Tesouraria Central Versus Local”, na EuroFinance, em conferência sobre o gerenciamento internacional de tesouraria, caixa e riscos para empresas no Brasil. Neste painel, empresas com diferentes pontos de vista e estratégias compartilham sua experiência na América Latina.

As multinacionais estão sempre favoráveis aos procedimentos centralizados e às políticas e processos globais, no entanto, o impasse se dá em aderir às políticas mundiais, com tantas burocracias locais. A principal preocupação de multinacionais que seguem a centralização das diretrizes dos seus grupos empresariais, como ThyssenKrupp e Saint-Gobain, por exemplo, concentra-se especialmente na conformidade e na padronização dos seus processos em determinados países em que atuam.

“O nosso processo de gestão centralizada começou ainda em 1998, com a parte de caixa. Toda a relação com bancos é central, seguindo a matriz. Só contratamos bancos locais para cash management.”

Cita Claudio José de Souza Rosa,
Diretor financeiro adjunto da Saint-Gobain

Já, as empresas globais que seguem direcionamentos estratégicos independentes, por compreenderem as particularidades locais, ao criar um processo descentralizado, os dados e suporte são compartilhados a fim de manter um padrão, mas sem imposição, como é o caso da cliente Gesplan, Accor.

“As tesourarias de cada país na América Latina são independentes. Sempre que criamos algum processo local, compartilhamos com a França, além de dividir dados e dar suporte uns aos outros, mas sem perder a percepção das especifidades locais.”

Claudio Taka,
Gerente financeiro e de tesouraria do Grupo Accor

 

Gerenciamento da Tesouraria Central

Dentre os prós e contras do modelo de tesouraria centralizado, o alinhamento da direção estratégica é a vantagem mais importante para a companhia que o adota, além da centralização trazer ganhos em escalas e otimizações. Para Souza Roza, da Saint-Gobain, por exemplo, um dos grandes ganhos deste modelo, é poder selecionar em cada país os melhores processos de gerenciamento e difundir as melhores práticas para o grupo. Por outro lado, impõe grandes desafios: as perdas na produtividade operacional podem ocorrer, com um ritmo desacelerado devido ao excesso de processos burocráticos, além das questões culturais e transparência da comunicação. Vale a cada grupo esta ponderação, ou enfrentar os desafios de adaptar as estratégias do grupo para a realidade local.

 

Fonte: Eurofinance

 

16 Maio 2024

5 vantagens que os sistemas financeiros em nuvem proporcionam para o setor de TI

Cada vez mais populares no universo corporativo, as tecnologias em nuvem são as maiores aliadas dos times de TI em muita...

Continue lendo
02 Maio 2024

Qual é o melhor caminho para implantar a IA na gestão financeira empresarial?

O uso de IA em finanças tem proporcionado a líderes e especialistas a oportunidade de trabalhar em conjunto com ferramen...

Continue lendo
25 Abril 2024

Como escolher um sistema para gestão de tesouraria?

Ao escolher um software para as finanças, analisar processos, regras de compliance e integrações com ERPs é essencial.

Continue lendo