+55 (47) 2101-7070
Voltar

Você está preparado para o IFRS 16?

25 Setembro 2018

Em constante evolução, o Conselho Internacional de Normas Contábeis (IASB) determinou novas regras de contabilização para contratos de arrendamentos. Tais alterações entraram em vigor em 01 de janeiro de 2019 e respeitam os padrões definidos pelas Normas Internacionais de Relatório Financeiro 16 (IFRS 16).

A principal alteração é a extinção dos dois modelos de contratos de arrendamento que existem no IAS 17, conhecidos como operacionais e financeiros. Em 2019, estes foram substituídos por apenas um modelo contábil.

De forma objetiva, o IFRS 16 altera o padrão de reconhecimento contábil das operações arrendatárias e sua consequente representação nas demonstrações financeiras, de modo a tornar mais transparente os ativos e passivos que estão em posse de cada uma das empresas.

O impacto no balanço e nas demonstrações de resultados da sua empresa

Os principais impactos desta alteração serão no Balanço Patrimonial e Demonstrações de Resultados.

Na prática, para efeito de Balanço Patrimonial, haverá uma alta no ativo não-circulante (pelo reconhecimento de direito de uso futuro), com uma contrapartida no passivo circulante e não-circulante.

Além disso, contabilmente, além do efetivo lançamento dos pagamentos no sistema de Contas à Pagar, é necessário realizar um novo procedimento, contrato à contrato, de reconhecimento da dívida restante, trazida a valor presente, de modo a atualizar o Balanço Patrimonial, reduzindo tanto o ativo a ser usufruído, quanto o passivo de curto/longo prazo.

No que diz respeito à Demonstração de Resultados, a KPMG, em recente publicação, analisou que: “As empresas vão perceber um aumento na sua rentabilidade de EBIT/EBITDA e nos índices, considerando que a despesa de arrendamento será contabilizada”. Este resultado se dá pela depreciação do ativo, uma vez que as despesas financeiras do passivo serão reconhecidas.

Além destes dois impactos, deverá ser considerada a adequação da empresa para esta nova categoria. Os contratos deverão ser analisados e cadastrados de forma coesa com a norma. Pensando nisso, a Gesplan apresenta o WFN Lease.

Sobre o WFN Lease

Observando este movimento e compreendendo a importância da automatização dos cálculos e contabilizações destes eventos, a Gesplan lançou solução WFN Lease.

Além das habituais operações financeiras de Leasings, já contemplados pelo WFN Financing, o WFN Lease tem como foco realizar a Gestão de Patrimônio, neste caso, via contratos de aluguéis, sejam de bens móveis ou imóveis.

O WFN Lease, além de ajustar os cálculos e impactos nas correções dos contratos (como índice de correção anual, por exemplo), permite também reconhecer, contabilmente, o montante a ser apropriado até o encerramento dos contratos, permitindo, assim, uma integração contábil aderente ao novo padrão IFRS 16.

Ainda, permite o cadastramento de outras informações contratuais, como locatário, locador, endereço, etc. Além de permitir cálculos de adimplência, liquidação antecipada, entre outros. Todas estas informações são adicionadas aos habituais relatórios gerenciais e dinâmicos ofertados pela solução Gesplan.

 

Quer saber mais informações sobre o WFN Lease?
Entre em contato conosco ou conheça um pouco mais sobre esta funcionalidade no link abaixo.

>> WFN LEASE <<

 

 

16 Maio 2024

5 vantagens que os sistemas financeiros em nuvem proporcionam para o setor de TI

Cada vez mais populares no universo corporativo, as tecnologias em nuvem são as maiores aliadas dos times de TI em muita...

Continue lendo
02 Maio 2024

Qual é o melhor caminho para implantar a IA na gestão financeira empresarial?

O uso de IA em finanças tem proporcionado a líderes e especialistas a oportunidade de trabalhar em conjunto com ferramen...

Continue lendo
25 Abril 2024

Como escolher um sistema para gestão de tesouraria?

Ao escolher um software para as finanças, analisar processos, regras de compliance e integrações com ERPs é essencial.

Continue lendo