+55 (47) 2105-5000
Voltar

Tesouraria digital: Como a tecnologia integrada agrega nas finanças corporativas

06 Junho 2022

Com a Transformação Digital acontecendo de forma acelerada dentro das empresas, a Tesouraria precisa acompanhar as tendências para garantir sua relevância

Sendo diretamente transformado por uma onda de novas ferramentas tecnológicas, o cenário corporativo está efetivamente mudando a forma de realizar suas operações. O departamento de finanças é um dos mais profundamente impactados por isso, com produtos voltados para automação de processos, controle de despesas, gestão de contratos e muito mais. Isso traz, indiscutivelmente, maior eficiência operacional, mas também exige a adoção de recursos tecnológicos por parte das empresas que desejam performar no mercado.

Assim, é importante entender o que significa uma tesouraria digital no negócio, como fazer para atingir este padrão e o que isso pode agregar para a organização.

A Transformação Digital na Tesouraria

O primeiro ponto é entender que uma “Tesouraria tecnológica” se difere de uma “Tesouraria digitalizada”.

Enquanto o conceito de digitalização está relacionado a processos práticos do setor, uma tesouraria tecnológica tem, além de ferramentas que trazem mais agilidade e eficiência na análise de dados, a cultura da transformação digital, fazendo com que a área deixe de ser apenas operacional, para ter um peso estratégico dentro das empresas.

Algumas tecnologias disruptivas e com potencial para, efetivamente, transformar a tesouraria incluem:

  • Machine Learning: esta tecnologia é um braço importante ligado à Inteligência Artificial, e permite que ferramentas e plataformas gravem dados e identifiquem padrões em suas rotinas, gerando aprendizado que torna sua eficácia cada vez maior ao longo do tempo. Este é um recurso importante para criar sistemas ágeis, automatizados e que tragam mais inteligência e confiabilidade para a operação da tesouraria.
  • Blockchain: um conceito tecnológico inovador, que viabilizou o surgimento das criptomoedas, mas cuja aplicação vai muito além. Por meio dela, é possível estabelecer a tokenização de ativos digitais da empresa, validação de documentos e transações, ampliando a segurança do financeiro, algo extremamente importante para o departamento, diante da sensibilidade dos dados que ele processa.
  • BI: a aplicação de Business Intelligence no setor financeiro já tem bastante tempo, com um longo registro de sucesso. A metodologia de coleta de dados, organização, análise e monitoramento, que transforma dados brutos em informação útil através de recursos tecnológicos, permite facilitar a tomada de decisões de forma precisa e analítica, abastecendo a empresa com dados relevantes e promovendo maior performance.
  • API: por meio de APIs, as diversas aplicações utilizadas pela tesouraria podem se comunicar de forma ágil, resultando em integração que otimiza o trabalho dos profissionais da área, reduz erros e torna o departamento mais eficiente.

Infográfico Tecnologias no setor financeiro

O papel do profissional de TI na transformação digital da Tesouraria

Para que a Tesouraria possa abranger suas funções mais estratégicas, os profissionais dependem de grande acesso à informação e à visibilidade de processos e atividades. Diante do aumento da profundidade das demandas do setor, a proximidade entre os times de TI e finanças é determinante. Somadas as expertises, as novas tecnologias podem ser aplicadas a fim de gerar resultados e trazer impactos positivos para a operação da Tesouraria. Assim, o apoio da TI torna-se fundamental para garantir que a cultura empresarial abrace as necessidades da transformação digital, munindo a Tesouraria com as ferramentas mais atualizadas, seguras e integradas. 

Conectividade para uma Gestão Financeira eficiente

Os ERPs, como principal ferramenta de gestão para unificar informações e facilitar o fluxo de trabalho entre as áreas, em sua ampla abrangência, também demandam soluções especialistas para suprir as especificidades geolocalizadas do sistema financeiro e tributário.

São engenharias matemáticas, regras contábeis, contabilização de operações financeiras, funções específicas, regras bancárias “flutuantes”, antecipamento de recebíveis, reconhecimento automático de extratos bancários, controle automático diário de variação cambial, saldo e contabilidade e outras funções complementares que se tornam necessárias para a gestão eficiente do negócio em relação às suas entradas, saídas e outras movimentações financeiras.

Com a visão integrada, a tesouraria garante sua abrangência, deixando de ser uma área operacional para tornar-se mais estratégica. Neste contexto, a conectividade, entra como peça chave, onde as  ferramentas e microsserviços passam a ter seus dados espelhados dentro do sistema de gestão principal, tornando o ecossistema digital dinâmico, reduzindo erros, a duplicidade e a desatualização de dados, diminuindo a carga manual de trabalho e dando mais visibilidade para os profissionais. 

Cloud: a realidade da tecnologia e segurança nas finanças

Mais do que dados ágeis, a tesouraria digital também precisa garantir a segurança da informação, tanto do ponto de vista de preservação dos dados, quanto da disponibilidade dos mesmos.

Para isso, é fundamental entender o conceito de cloud computing. Cada vez mais percebida como uma tecnologia que traz escalabilidade, estabilidade e segurança para o negócio sem implicar em grandes investimentos em infraestrutura, a nuvem é o grande passo adiante para o setor. Com ela, a empresa deixa de ter despesas com manutenção de servidores e redes, e passa a investir de forma pontual na expansão dos serviços contratados conforme sua necessidade em cada momento de sua jornada. 

Por isso, sistemas de gestão preparados para atuar nesta modalidade, garantem seus diferenciais. ERPs e outras plataformas importantes para a gestão do negócio são desenvolvidas através do conceito ‘cloud first’ ou ‘cloud ready’, agilizando sua implantação e garantindo os benefícios deste formato de infraestrutura, que incluem:

  • Segurança das informações;
  • Sistema sempre atualizado;
  • Maior precisão dos dados obtidos, e
  • Informações em tempo real.

Tecnologias na Tesouraria: conte com quem entende de integração cloud para o setor

Diante do grande salto que representa a tecnologia em nuvem para a Tesouraria, é importante contar com ferramentas sólidas, integradas e com histórico comprovado de alto desempenho. 

Pensando nisso, a Gesplan traz, junto às soluções WFN, o Conector, um recurso poderoso que promove integração entre os principais ERPs e sistemas auxiliares do mercado, contribuindo para a agilidade operacional e gerencial.

Fale agora com nossos especialistas e descubra como integrar e transformar a Tesouraria da sua empresa.

Webinar Tecnologias na Tesouraria

09 Junho 2022

Misleading IFRS 16: Nota Explicativa obrigatória nas Demonstrações Contábeis

As áreas técnicas da CVM observaram que as demonstrações financeiras das companhias abertas apresentaram divergências na...

Continue lendo
06 Junho 2022

Tesouraria digital: Como a tecnologia integrada agrega nas finanças corporativas

Com a Transformação Digital acontecendo de forma acelerada dentro das empresas, a Tesouraria precisa acompanhar as tendê...

Continue lendo
31 Maio 2022

[Depoimento Raízen] Unificando o Planejamento Financeiro multiempresas

Referência global em bioenergia, a Raízen é um dos maiores grupos empresariais privados do Brasil, com um faturamento an...

Continue lendo