+55 (47) 2101-7070
Voltar

Tesouraria Corporativa: Onde investir em 2020?

05 Fevereiro 2020

Pela primeira vez, tesoureiros corporativos terão que assumir um risco maior ao fazer aplicações financeiras se quiserem obter o mesmo nível de retorno a que estiveram acostumados. O juro real próximo a zero é inédito na história recente e impõe uma mudança de paradigma: o fim das aplicações que garantiam, ao mesmo tempo, rentabilidade, liquidez e segurança.

Com a taxa básica de juros (Selic) no patamar mais baixo, a 4,5% a.a., e colada na inflação oficial (IPCA), 4,31%, ativos de renda fixa com vencimento a curto prazo serão cada vez menos atrativos. Reflexo disso foi resultado recorde da bolsa de valores em 2019. O índice que mede o desempenho das ações mais negociadas, o Ibovespa, encerrou o ano com ganho de 31,58%, a 115 mil pontos.

Pensando nisso, a GESPLAN selecionou 25 ativos entre os melhores e piores desempenhos acumulados em 2019, ou em 12 meses, para alimentar a discussão sobre onde investir em 2020.

A seguir, você confere esse ranking:

Rentabilidade acumulada em 2019 (ou em 12 meses*)

Fundos Ações Small Caps  51,98
Fundos Ações Investimento no Exterior  46,67
Fundos Ações Setoriais  44,28
Fundos Ações Livre  40,28
Fundos Ações Dividendos  34,58
Fundos Ações Indexados  32,28
Tesouro Prefixado 2025* 21,51
Tesouro IPCA+ 2024* 16,91
Tesouro Prefixado 2023* 16,1
Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais 2024* 15,29
Tesouro Prefixado com Juros Semestrais 2023* 14,34
Fundos Multimercados Estratégia Específica  14,06
Fundos Multimercados Investimento no Exterior  13,39
Tesouro IGPM+ com Juros Semestrais 2021* 13,17
Fundos Multimercados Balanceados  12,57
Fundos Multimercados Livre  12,22
Fundos Multimercados Macro  11,57
Fundos Multimercados Capital Protegido  10,71
Tesouro Prefixado 2021* 9,41
Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais 2020* 7,6

* Rentabilidade acumulada em 12 meses tendo o dia 31/01/2020 como referência.

Fontes: Anbima e Tesouro Direto

Referências

Selic ao final de 2019 4,5% a.a.
IPCA em 2019 4,31%
Variação do Dólar em 2019 3,50%
Desempenho Ibovespa em 2019 31,58%

Fontes: BCB, IBGE, B3

2020 vs 2019

Ainda que os títulos públicos apareçam bem posicionados no ranking de 2019, é importante lembrar que eles acumulam parte da rentabilidade referente a um período em que o juro esteve mais alto. No entanto, rentabilidade passada não significa garantia de retorno no futuro.

Por isso, considerando a expectativa de queda para a Selic em 2020, para 4% a.a., e de estabilidade para a inflação, em torno de 3,5%, a rentabilidade dos títulos públicos tende a cair no curto prazo.

Renda fixa

Portanto, para manter a rentabilidade em aplicações de renda fixa, será preciso adotar novas estratégias: encarar um risco maior de crédito ou optar por ativos de menor liquidez.

Nesse caso, as opções são recorrer a títulos privados, como as debêntures, CRI’s, CRA’s, entre outros, ou a títulos públicos com vencimento mais longo.

Mercado de Ações

Ou seja, é no mercado de ações onde, a princípio, estarão as melhores chances de ganho em 2020.

Em 2019, por exemplo, apenas três dos 12 tipos de fundo de investimento em ações tiveram desempenho acumulado pior do que o Ibovespa, segundo dados da Anbima. Os Fundos de Ações FMP-FGTS, com 15,56%, os Fundos Fechados de Ações, que tiveram rendimento negativo de 0,12%, e o Fundo Mono Ação, com 14,32%.

Previsões

Em 2019, o crescimento da BM&FBovespa foi impulsionado por juros baixos também no exterior e um clima positivo nos mercados mundiais. E a expectativa continua positiva para 2020. A maior gestora de recursos do mundo, a BlackRock, com US$ 6,3 trilhões sob gestão, divulgou, em janeiro, um relatório em que reforça esse otimismo com ênfase para os mercados emergentes.

A estabilização do crescimento global, o aumento da atividade industrial e a manutenção dos juros em níveis baixos nos países emergentes devem estimular a economia e os mercados de ações. O último relatório do FMI sobre o panorama da economia global está alinhado a essa expectativa.

A estimativa para o PIB dos países emergentes, em 2020, é de 4,4%, e de 3,3% para o PIB Mundial. Enquanto isso, o Brasil deve crescer 2,2%, e a América Latina, 1,6%.

Diversificação

No ano passado, as bolsas também fecharam em alta nos Estados Unidos e na Europa. O índice Dow Jones subiu 22% e o Nasdaq, 35%, enquanto as bolsas de Frankfurt, Paris e Milão, registraram alta de 26%, 27% e 27%, respectivamente.

Em outras palavras, considerando o atual patamar de taxa de juros no Brasil e o bom desempenho do mercado de ações no mundo, passa a ser mais viável e, talvez, interessante investir em outros mercados através de fundos internacionais e fundos multimercados que investem no exterior.

Diante desse novo cenário, uma coisa é certa: para manter o equilíbrio entre rentabilidade e segurança, será preciso analisar melhor as oportunidades de investimento e diversificar a carteira de aplicações.

16 Maio 2024

5 vantagens que os sistemas financeiros em nuvem proporcionam para o setor de TI

Cada vez mais populares no universo corporativo, as tecnologias em nuvem são as maiores aliadas dos times de TI em muita...

Continue lendo
02 Maio 2024

Qual é o melhor caminho para implantar a IA na gestão financeira empresarial?

O uso de IA em finanças tem proporcionado a líderes e especialistas a oportunidade de trabalhar em conjunto com ferramen...

Continue lendo
25 Abril 2024

Como escolher um sistema para gestão de tesouraria?

Ao escolher um software para as finanças, analisar processos, regras de compliance e integrações com ERPs é essencial.

Continue lendo